Conheça as alterações às Leis de Jogo para a nova época

 
A época desportiva 2019/2020 iniciou recentemente e trouxe consigo novas regras na modalidade de futebol, que vigoram desde o dia 1 de julho. O Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol do Algarve já promoveu duas sessões de esclarecimento sobre o tema – em Faro e em Portimão – dirigida aos clubes e núcleos filiados, que aqui poderão recordar as novas leis.

Resumo geral

Lei 3: Um jogador que vai ser substituído deve abandonar o terreno de jogo pelo ponto mais próximo na linha delimitadora, salvo indicação em contrário por parte do árbitro.

Lei 4: É possível utilizar camisolas interiores com várias cores/padrões se for exatamente igual à manga da camisola do equipamento.

Lei 5: O árbitro não pode alterar uma decisão relativa a um recomeço de jogo após o mesmo ter sido reiniciado. Contudo, em determinadas circunstâncias, pode exibir um CA/CV para penalizar um incidente anterior;

Se o árbitro abandonar o terreno de jogo para uma revisão VAR ou para chamar os jogadores novamente para o terreno de jogo após o apito final de uma das partes, uma decisão pode ainda ser alterada;

É possível exibir um CA/CV aos elementos oficiais das equipas culpados de comportamento irresponsável. Caso não seja possível identificar o elemento prevaricador, será exibido um CA/CV ao treinador principal na área técnica;

Quando for concedido um pontapé de penálti, o jogador executante pode receber assistência médica e permanecer no terreno de jogo para executar o respetivo pontapé de penálti.

Lei 7: Clarificação sobre a diferença entre paragens para “arrefecimento” e para “hidratação”

Lei 8: A equipa que vence o sorteio pode escolher executar o pontapé de saída;

Bola ao solo – lançamento de bola ao solo para o guarda-redes (se o jogo for interrompido no interior da área de penálti) ou para um jogador da equipa que tocou pela última vez a bola nesse mesmo local; os restantes jogadores (de ambas as equipas), devem estar a, pelo menos, 4 metros (4,5 jardas) de distância.

Lei 9: Lançamento de bola ao solo se a bola tocar no árbitro (ou outro elemento da equipa de arbitragem) e entrar na baliza, se alterar a posse de bola das equipas ou se iniciar um movimento de ataque.

Lei 10: O guarda-redes não pode obter golo ao lançar a bola na direção da baliza adversária.

Lei 12: O texto relativo à infração de tocar a bola deliberadamente com a mão foi atualizado de modo a fornecer uma maior exatidão/consistência com diretrizes claras para quando ocorre uma situação de mão na bola “não deliberada” esta ser (ou não ser) penalizada;

Confirmação de que uma infração de tocar a bola deliberadamente com a mão “ilegal” cometida pelo guarda-redes na respetiva área de penálti não é penalizada com um CA/CV;

Se, após um lançamento lateral ou passe deliberado realizado por um seu colega de equipa, o guarda-redes não conseguir pontapear ou tentar pontapear a bola de modo a prosseguir o jogo, o guarda-redes pode então agarrar a bola;

O árbitro pode retardar a exibição de um CA/CV até à próxima paragem, caso a equipa que sofreu a infração recomece o jogo através de um pontapé-livre executado rapidamente e com isto possa criar uma oportunidade de golo;

O CA a punir uma celebração de golo “ilegal” continua a ser aplicado mesmo se o golo acabar por ser invalidado;

Lista de infrações passíveis de aviso/CA/CV para os elementos técnicos;

Todas as infrações verbais são punidas com um pontapé-livre indireto;

A ação de pontapear um objeto é punida da mesma forma que o lançamento de objeto.

Lei 13: Após a execução de um pontapé-livre indireto, o árbitro pode parar de realizar o gesto associado ao pontapé-livre indireto quando for evidente que não é possível obter um golo diretamente a partir desse pontapé-livre (p. ex. a maioria dos pontapés-livres indiretos por fora de jogo);

Relativamente aos pontapés-livres para a equipa defensora na sua própria área de penálti, a bola entra em jogo assim que seja pontapeada e claramente se mova (a bola não necessita de sair da respetiva área de penálti);

Nos casos em que uma barreira defensiva tenha, pelo menos, 3 jogadores defensores, todos os adversários devem permanecer a, pelo menos, 1 metro dessa mesma barreira; será concedido um Pontapé Livre Indireto caso não respeitem essa distância.

Lei 14: Os postes, a barra e as redes devem estar imóveis aquando da execução de um pontapé de penálti e o guarda-redes não pode tocar-lhes;

O guarda-redes deve ter, pelo menos, parte de um dos pés sobre a linha de baliza aquando da execução de um pontapé de penálti; não pode permanecer atrás da linha de baliza;

Caso ocorra uma infração após o sinal para a execução do pontapé de penálti por parte do árbitro e a execução do pontapé de penálti não aconteça, o mesmo pontapé de penálti deve então ser executado após a exibição de um possível CA/CV.

Lei 15: Os jogadores adversários devem permanecer a, pelo menos, 2 metros do local da linha lateral onde o lançamento lateral vai ser executado, mesmo se o executante estiver atrás da linha mas mais afastado.

Lei 16: Nos pontapés de baliza, a bola entra em jogo assim que seja pontapeada e se mova claramente (não necessita de sair da respetiva área de penálti).

08.08.2019